quarta-feira, 4 de abril de 2018

#01 - A que ponto nós chegamos

Os sete pontos da graça de Deus

Você está agora iniciando uma série de estudos que tem como objetivo demonstrar através de diversos textos bíblicos a maravilhosa graça de Deus aplicada àqueles que sabem que foram chamados por Deus para a eternidade e que têm a necessidade de conhecer mais sobre como isso acontece. Alguns pontos são simples, no entanto todos pedem grande atenção e confirmação bíblica para que você aprenda a observar a Graça de Deus na sua vida e consiga aplicar na vida de outras pessoas a fim de levar esperança e vida e não condenação e morte como algumas teologias têm feito. Espero poder sanar algumas dúvidas e deixar outras para que você nunca pare de crescer no conhecimento de Deus.

São sete pontos hoje, porém a maioria das pessoas ensinam cinco pontos. Aqui eu incluí dois pontos adicionais que mostram a soberania de Deus sobre o que está acontecendo hoje dentro da religiosidade cristã e outra mostrando o quão grande e soberano é o nosso Deus, noções que me parecem ter sido esquecidas e que por isso muitos crentes criam perguntas simples de serem respondidas por pessoas que querem as enganar. Comecemos com um breve panorama de como estamos teologicamente falando hoje e o que a Bíblia sempre nos ensinou sobre este quadro e o futuro do homem moderno.

01 – A que ponto nós chegamos


Gosto muito de pensar na história da igreja cristã como uma evolução que se encaixa perfeitamente ao que foi revelado por Deus na Bíblia Sagrada. Logo, nada que vemos hoje é surpresa para Deus e sempre que vejo alguma “novidade extraordinária” lembro que todas estas coisas precisam acontecer.
A igreja passou por muitos perigos desde que foi liberta das garras do catolicismo Romano desenfreado, creio piamente que Deus acompanhou tudo isso e a libertação do seu povo foi planejada por Ele e executada usando homens que se entregaram por amor a esta missão.


De Lutero até Armínio a igreja cresceu em meio a constantes ataques físicos e quando tudo parecia resolvido um grupo de alunos de Jacó Armínio apareceu com um dos ataques mais inteligentes àqueles que ensinavam e estudavam as Escrituras. Os ataques do grupo denominado Irmandade Remonstrante elaborados no que conhecemos hoje como doutrina arminiana (ainda que hoje ela não esteja como foi planejada) foi completamente rejeitada na época, porém, a sombra do que fora uma doutrina estranha fez com que muitos fossem enganados, não por Jacó Armínio, mas por pessoas que assinavam por ele. O poder de uma doutrina voltada ao homem e não a Deus fez com que muitos se encantassem, mal sabiam que era apenas a porta de entrada para que a centralidade do homem se estabelecesse dentro das igrejas reformadas.

John Piper em seu livro “Cinco Pontos” mostra como isso afetou igrejas por onde tais doutrinas, agora arminianas, passaram. Leia com atenção este relato:

Em seu livro Jonathan Edwards: A New Biography, Ian Murray documenta a mesma coisa:
“Convicções calvinistas definharam na América do Norte. No progresso do declínio que Edwards tinha previsto corretamente, aquelas igrejas congregacionais da Nova Inglaterra, que haviam adotado o arminianismo após o Grande Avivamento, se moveram gradualmente para o unitarianismo e o universalismo, lideradas por Charles Chauncy”
Em Quest for Godlines [Busca por piedade], escrito por J. I. Parker, você também pode ler como Richard Baxter abandonou estes ensinos e como a geração seguinte teve uma colheita horrível em sua igreja, em Kidderminster
.”

O arminianismo não foi o único movimento a tentar contradizer as Escrituras, movimentos como o Iluminismo, Kardecismo, Adventismo, Pentecostalismo (algumas vertentes) e os Testemunhas de Jeová tentaram, e ainda tentam em alguns casos, contradizer o que a Bíblia ensina e colocar uma série de conceitos próprios dentro do que chamamos de doutrina reformada. Não podemos afirmar que a intenção de todos eles era de fato trazer confusão, mas não podemos negar que vivemos hoje um emaranhado de ideias humanas que muitos chamam de teologia dentro das igrejas que bebem de alguma forma de pelo menos dois ou três desses nomes consecutivamente.

Haviam plantado uma árvore venenosa dentro da igreja, porém, para Cristo isso não era novidade e alguns dos apóstolos também nos ensina sobre o que acontecerá, ou acontece com o homem do futuro.

O que a Bíblia ensina sobre o homem do futuro?


A Bíblia fala muito sobre o homem do futuro e algumas vezes tais homens eram o de sua própria época, mas grande parte se refere a nós. Talvez você seja um novo convertido e não tenha notado, mas a igreja cristã hoje não é mais a que nossos pais serviam e alguns conceitos mais importantes estão aos poucos sendo substituídos por outros que em alguns casos representam exatamente o oposto.
Um bom exemplo que temos hoje é a noção que se passa para aqueles que ainda amam o pecado. É muito ensinado que Deus odeia o pecado, mas ama o pecador no sentido de que Deus ama aqueles que ainda não foram chamados à salvação; muito contrário ao que as escrituras ensinam. Compare esta ideia com o texto abaixo:

Bem aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores – por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.” (Salmo 1.1,5).
Leia o mesmo texto numa versão mais clara das escrituras, usarei aqui a NVT, acompanhe:
Feliz é aquele que não segue o conselho dos perversos, não se detém no caminho dos pecadores, nem se junta à roda dos zombadores. - Serão condenados quando vier o juízo; os pecadores não terão lugar entre os justos”.

Com base em apenas um texto podemos ver como essa verdade pode ser facilmente refutada biblicamente, outros textos falam a mesma coisa, confira também: Salmos 37; Salmos 73 ; Mateus 25.1-12; João 3.18-21,36 entre tantos outros.

Vivemos momentos de grande apostasia, ou seja, momentos de abandono da fé. Muitos que se aventuraram na fé cristã estão aos poucos abandonando a mensagem do evangelho ou a própria igreja. O crescimento de falsos profetas em nosso meio é uma das maiores provas de que isso está de fato acontecendo, coisas que foram avisadas e que sempre tivemos acesso. Basta abrir a Bíblia em Mateus 24 e ver Jesus descrevendo a nossa geração, nos versos 10-13 temos tantas informações sobre nossa religiosidade que fica claro que Jesus sabia exatamente do que estava falando. Leiamos o texto em questão:
Muitos se afastarão de mim, e trairão e odiarão uns aos outros. Falsos profetas surgirão em grande número e enganarão muitos. O pecado aumentará e o amor de muitos esfriará, mas quem se mantiver firme até o fim será salvo”.

No fim dos tempos o amor de muitos se esfriará devido a alta busca do pecado, pelos prazeres da carne e para que isso alcance a própria igreja e a muitos que estão dentro dela a mensagem também precisa ser mudada, e eis que descrevemos o ano de 2018! Talvez você se pergunte onde isso irá parar, a resposta está no mesmo capítulo, leia atentamente:
pois haverá mais angústia que em qualquer outra ocasião desde o começo do mundo, e nunca mais haverá angústia tão grande. De fato, se o tempo de calamidade [tribulação] não tivesse sido limitado, ninguém sobreviveria, mas esse tempo foi limitado por causa dos escolhidos. “Portanto, se alguém lhes disser: ‘Vejam, aqui está o Cristo!’ ou ‘Ali está ele!’, não acreditem, pois falsos profetas surgirão e realizarão grandes sinais e maravilhas a fim de enganar, se possível, até os escolhidos”. (Mateus 24.21-24).

Tudo leva a uma grande tribulação, não como a que o povo de Israel passou em 70d.c, aqui vemos uma “como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver” (ACF).

Os apóstolos também nos alertaram muito sobre isso, Paulo aos Colossenses (Col. 2.8) orientou contra possíveis filosofias e vãs sutilezas, doutrinas que levavam em conta tradições humanas segundo os costumes do mundo, alguma semelhança com a religiosidade do nosso século não é mera coincidência. Em duas de suas cartas enviadas a Timóteo temos mais informações sobre uma apostasia dos últimos tempos, em especial registrado em 1Tm 6.3-10 e 2Tm 3.1-17; 4.1-5. O apóstolo Pedro também nos orienta a respeito de falsos profetas, para conhecer mais estude 2Pe 2. E para conhecer como o apóstolo João ensina sobre o assunto leia 1Jo 2.28-29; 4.1-6.

Esta seção é apenas para termos uma noção de que Deus não foi surpreendido pelos falsos profetas ou pelas pessoas que abandonaram sua fé, muito pelo contrário, vamos estudar nessa série os motivos que levam as pessoas abandonarem completamente a fé cristã e como Deus opera em nós esta incrível salvação.

Como Deus resolve este problema em nós?


Ainda que o número de falsos profetas cresça e a apostasia se torne cada vez mais popular, Deus não permitirá que seus filhos, os verdadeiros cristãos, se afastem dele por muito tempo. Agora mesmo centenas de pessoas estão sendo alcançadas pelo verdadeiro evangelho, outras tantas, talvez como você, estão notando algo de muito errado em seus líderes e na mensagem que tem chegado ao púlpito e por isso estão sendo impulsionados à verdade através do estudo sincero da Palavra de Deus pela revelação do Espírito Santo.

Jesus deixa diversas dicas de que os salvos não serão levados pelos falsos profetas, quando ele ensina que o pecado irá aumentar e amor de muitos se esfriar ele está garantindo que no meio de todos aqueles que ouviram falar do evangelho apenas muitos estarão de corações frios pelo poder do pecado, não todos, muitos. Esta informação é confirmada em Mateus 24.22 onde vemos que Ele mesmo irá abreviar os tempos de perseguição por causa dos seus eleitos e ainda nos versos 30 e 31 nós o vemos ajuntando os seus escolhidos, ou seja, Deus irá guardar os seus filhos, ainda que passem por tribulações, ainda que sejam enganados, ele os ajuntará antes da sua vinda.

Uma hora ou outra seus filhos ouvirão a sua voz, assim como uma ovelha ouve a voz do seu pastor e então todos nós o seguiremos, um só rebanho e um só pastor.
E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. Mas de modo nenhum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos. - Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas. Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor”. (João 10.4-5;14-16)

Talvez você seja uma dessas ovelhas, que esteve preso a um sistema religioso por muitos anos e agora ouviu a voz do Espírito Santo, isso acontece o tempo todo. Começa com uma sensação de que algo não faz sentido e termina percebendo que foi enganado durante muito tempo ou até mesmo a vida inteira. Esta série de estudos é especialmente para você que sente agora mais do que nunca a sede de conhecimento e deseja saber como Deus nos chamou, nos salvou, justificou e venceu por nós e por outros filhos que ainda serão chamados segundo o seu propósito.

Afinal, se já sabemos que Deus faz todas as coisas cooperarem para o bem daqueles que o amam, ele tem muita coisa a nosso favor e fará para honra e glória do seu nome. Amém.

Devair S. Eduardo


Versões bíblicas usadas: NVT; ACF.

Ratings and Recommendations by outbrain