sábado, 31 de março de 2018

O Grande Segredo

A busca pelo grande segredo já fez com que muitas pessoas fizessem todo tipo de bizarrices possível, de simpatias a assassinatos, as pessoas querem tentar quase tudo para chegar lá. Ainda que esse “lá” não seja o melhor que elas possam desejar, na verdade algumas pessoas não pensam nesse aspecto de um desejo e isso já foi tema de vários filmes e etc… 



A verdade é que, querendo ou não todas as pessoas querem alguma coisa e principalmente querem que dê certo. Nascemos querendo coisas ou traçando objetivos, repito, ainda que não sejam bons. Mas de forma geral todo mundo tem algum objetivo traçado e passa muito tempo lutando para que dê certo, não é diferente com o cristão, traçamos metas, definimos alvos e partimos atrás como qualquer outra pessoa e infelizmente alguns cristão agem de forma completamente igual à outras pessoas, tudo em busca desse “segredo” da felicidade. Sim, sei que o segredo da felicidade é Deus, isso é lógico até mesmo para quem não pertence a Deus, pois, vemos várias pessoas afirmando que Deus é o segredo do seu sucesso porém um sucesso alcançado em cima de padrões não bíblicos. As pessoas tem essa leve noção e é por isso que muitas delas, sejam cristãs ou qualquer outra coisa dizem “graças a Deus”.

Existem muitas fórmulas para alcançar o sucesso e o povo cristão muitas vezes busca estas fórmulas com ansiedade de que aquilo que querem fazer seja bem sucedido, porém, de onde temos tirado essas fórmulas? Vejo muitos pregadores usando as mesmas fórmulas ensinadas e divulgadas pelo mundo, as quais não levam em consideração algumas das questões mais importantes do universo, gostaria de lhe mostrar algumas delas hoje mesmo, então, como um irmão em Cristo pode construir algo ou alcançar um alvo com sucesso? Eis algumas noções importantes a serem consideradas.

A base para construir algo bom

Moisés foi uma das pessoas mais bem sucedidas no que fez, porém, ao contrário do que muitos pensam o que ele fez não era o que de início gostaria de fazer, Deus o chamou, transformou e o moldou segundo a sua própria vontade dando a ele uma das missões mais maravilhosas da história da humanidade. Ainda assim podemos dizer com certeza que ele terminou seu combate na terra com sucesso, ainda que não entrando na terra prometida, e por tudo que fez é lembrado ainda hoje. O segredo mais importante para nós, cristãos, que queremos construir algo duradouro ou de sucesso foi revelado por ele pouco antes de morrer e é um dos textos que mais gosto em toda a Bíblia, eis um segredo imensurável:
“Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos justos são; Deus é a verdade, e não há nele injustiça; justo e reto é.” (Deuteronômio 32.4)

O crente que almeja construir algo que dê certo precisa antes de tudo estar firme nessa rocha, nada pode dar certo se construirmos nossas bases em coisas, pessoas ou em nós mesmos. Precisamos de algo que seja mais seguro, algo que seja mais verdadeiro e justo e essa justiça não inclui apenas o que as pessoas fazem conosco, ela é perfeita. Deus é justo e isso se aplica a nós mesmos e as nossas atitudes. Moisés afirma que Deus é a rocha perfeita, aonde nós temos plena segurança, onde podemos construir algo que dê frutos, porém, diz ainda que todos os caminhos do Senhor são retos e que ele é a verdade, logo, se quisermos construir algo que vá contra a sua vontade é certo de que nem mesmo esta base segura nos garantirá sucesso.
Precisamos conhecer a vontade de Deus para sabermos se o que nós queremos é de fato Justo e Verdadeiro! Precisamos aceitar ainda que, por mais que o mundo pregue o sucesso em cima de coisas injustas ou mentirosas, Deus abençoa apenas as que são verdadeiras e justas, logo as outras estão fadadas ao fracasso e cedo ou tarde isso acontecerá. Será que, confiando nesse Deus justo, seguro e verdadeiro temos tentado construir coisas compatíveis? Cristão, guarde muito bem esse primeiro conselho, dele depende tudo que você quer construir aqui na terra.

Jesus usa muito bem esse texto quando se refere àqueles que conhecem a sua palavra ou seja, para quem conhece a palavra de Deus, lemos em Mateus 7.24-25:
“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem sábio, que construiu a sua casa sobre a rocha; e desceu a chuva, vieram as inundações, e sopraram os ventos e golpearam contra aquela casa, mas ela não caiu, porque estava fundada sobre a rocha”

Muitos vão se perguntar se estas coisas se aplicam também ao meio profissional e a resposta é sim, precisamos levar em consideração as palavras de Deus em qualquer lugar, sem negar nenhum ponto para nos beneficiarmos ou promover algo que não seja justo ou verdadeiro, sem a base principal tudo estará fadado ao fracasso, mas isso não resume tudo que precisamos observar, há ainda outros pontos importantes a ser observado.

A minha vontade e a vontade de Deus

Afinal de contas o que você quer reflete de algum modo uma coisa justa? Se a nossa base de justiça é o próprio Deus, logo o que desejamos fazer precisa antes de tudo passar pelo seu filtro de justiça, sendo uma coisa injusta ela não irá adiante e ainda que sejamos insistentes ela nos trará problemas que podem durar anos, portanto aquilo que queremos precisa antes ser o que Deus deseja. Muitas pessoas ficam com medo desse ponto pois desejam coisas que vão contra a vontade de Deus e de alguma forma é um fruto de sua própria injustiça, alias, veja como o Google define a palavra “injusto”:

adjetivo substantivo masculino

1. que ou aquele que não procede com justiça.
"patrão i."

2. adjetivo
que não está em conformidade com a justiça.
"decisão i."

3. adjetivo
que não tem fundamento; injustificado.
"cólera i."

Se quisermos construir alguma coisa precisamos antes definir quais atitudes ou decisões serão justas para chegar lá. Precisamos também definir quais padrões de justiça vamos acatar, os padrões usados hoje pela sociedade estão completamente comprometidos e portanto não são seguros para construir algo que dê certo, se quisermos construir algo pelo qual Deus nos abençoará precisamos usar sua própria definição de justiça em todas as nossas escolhas, só então poderemos compreender se Ele quer nos abençoar em nossa investida. Entenda que dar certo ou não pode não depender exatamente da sua vontade, estamos antes, debaixo da vontade de Deus para todas as coisas, veja o que o apóstolo João nos ensina sobre isso:
“E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos” (1 João 5.14-15).

Gosto muito dessa versão, cheia de vírgulas que separam muito bem as coisas. Gosto também da versão NVT desse texto, no verso 14 vemos a seguinte informação: “Estamos certos de que ele nos ouve sempre que lhe pedimos algo conforme a sua vontade”. Nenhuma vírgula e a mesma realidade, aquilo que pedimos a Deus precisa ser aquilo que ele também quer, como pode ser isso? Simples e vou explicar porque é importante com um exemplo muito conhecido.

Muitas pessoas procuram a religião cristã em busca de uma vida financeira próspera e bem sucedida, não estou falando de uma vida estável e segura, estou falando aqui sobre dinheiro e poder. Muitas pessoas não procuram a Deus por terem sido chamados por ele, querem apenas as suas bençãos e não a salvação. Pode isso ser compatível com a vontade divina? Não, sem chance.

[O crente e os desejos do mundo]
Como alguém pode buscar em Deus prosperidade e poder se o próprio Jesus disse que essas coisas pertencem aos gentios, ou seja, àqueles que não pertencem ao Reino de Deus? Os mesmos que no Salmo 73.17-20 serão destruídos? Algumas coisas no cristianismo moderno estão muito além do que Deus ordena, as pessoas não buscam mais sentido naquilo que desejam e ignoram o que o próprio Deus quer, porém, esta atitude não irá invalidar o que Ele preparou para o ímpio e isso pode ser perigoso para você também.
“Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celeste bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6.32-33)

[E se quisermos usar isso para os nossos pecados?]
Precisamos rever nossas prioridades e os nossos desejos, podemos estar orando por coisas que o mundo procura e que são completamente contrárias á vontade de Deus, pode parecer estranho, mas é muito mais comum do que parece. O povo de Deus tem sido incentivado a buscar cada vez o apoio da religião a favor das suas vontades e pecados, e isso é um dos motivos pelos quais o cristianismo tem sido difamado mundo afora. Sobre isso sempre tivemos alguma instrução objetiva e importante, o problema é que ela não é ensinada na maioria das igrejas, pois, as mesmas têm objetivos parecidos, Deus mesmo as julgará por isso. Tiago escreveu sobre isso e vale muito a pena lembrar também, leia:
“De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para gastardes em vossos deleites. Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tiago 4.1-4).

Duras e necessárias palavras, precisamos entender que muitas vezes queremos coisas que vão contra a vontade de Deus, lutamos e buscamos de acordo com os melhores padrões deste mundo sem notar que isso nos faz inimigos de Deus, quais são os padrões divinos para alcançar aquilo que desejamos? Precisamos com muita urgência aprender mais da sua palavra, conhecer e experimentar mais da sua vontade antes de desejar algo para nós mesmos, pois o nosso desejo pode acabar nos colocando em péssimas condições.

O que eu desejo me permite adorar a Deus?

Você consegue imaginar um ladrão honrando a Deus pelo seu crime? Será mesmo que uma prostituta consegue adorar a Deus enquanto leva alguns homens ao adultério e outros à prostituição? É possível adorar ao Deus justo e verdadeiro praticando atos de injustiça? A corrupção adora a Deus de alguma forma positiva? Não, ela apenas mostra o quanto Deus é justo, pois todas essas coisas um dia serão reveladas e a justiça de Deus será plenamente cumprida. Precisamos entender que tudo que fazemos de alguma forma reflete o que cremos sobre Deus. Logo, se não posso adorar a Deus na emissão das notas de uma empresa isso mostra que eu o ignoro. Faz de mim indigno de todas as suas bençãos.

As nossas ações precisam antes de tudo honrar a Deus, sei que muitas vezes perdemos o controle e pecamos, mas não é sobre isso que estou falando, me refiro àquilo que queremos e à forma como buscamos. Se de alguma forma isso não pode ser revelado ou se você se sente envergonhado diante de Deus por praticar alguma dessas coisas a informação que você está passando é que não reconhece ele como Deus verdadeiro e isso te excluí de qualquer coisa positiva que você esteja orando para alcançar, leia atentamente o que Paulo ensina sobre as nossas atitudes cotidianas:
“Portanto, quer comais, quer bebais ou façais qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus. Não vos torneis ofensa aos judeus, nem aos gentios, nem à igreja de Deus; assim como eu agrado a todos os homens em todas as coisas, não buscando o meu próprio proveito, mas o proveito de muitos, para que possam ser salvos.” (1 Coríntios 10.31-33).

Dentro do contexto ao qual Paulo escreveu ele nos ensina coisas valiosíssimas, tais como: fazer tudo para a glória de Deus; não ser motivo de ofensa a outras pessoas; não buscar o nosso próprio bem, mas o de outras pessoas também. Ora, as pessoas que agem de forma contrária serão as que: fazem tudo para sua própria glória ignorando que é Deus que as abençoa; não se importam com o que as pessoas a vê fazendo e farão coisas terríveis aos olhos de todos; pensarão apenas em si mesmas, serão egocêntricas em seu modo de agir. Como alguém assim pode esperar alguma benção de Deus? Como construir uma família sem estes princípios? Como montar uma empresa pensando apenas em si mesmo? Como buscar a Deus se tudo o que você quer é aproveitar ao máximo os seus próprios pecados? Não faz sentido o que vemos acontecendo hoje em dia.

O que eu sonho fazer precisa ser algo que honre a Deus, pois Ele me abençoa todos os dias e permite que eu busque algumas coisas que desejo; os meus sonhos não fazem as pessoas sentirem vergonha de mim, ou de estar próximas a mim; as minhas atitudes também não deixam as pessoas constrangidas, nem aquilo que eu falo as afastam de mim; em tudo que eu busco beneficio aqueles que me apoiam, aqueles que me ajudam pois são peças fundamentais para o sucesso de qualquer equipe. Nenhum líder conquista a confiança dos liderados se pensar apenas nele e isso vale para todas as áreas de nossa vida. 

E quando dá tudo errado?

Sabemos porém, que o grande Segredo é Deus. Não aquilo que nós queremos, mas aquilo que ele quer de nós e o melhor caminho é sempre o seu. O que fazer quando nada está dando certo? O que faremos quando depositamos toda nossa fé em Deus a respeito de algum sonho e isso não acontece e muito pelo contrário dá muito errado, será que Deus precisa mesmo cumprir aquilo que sonhamos? Eu diria que não. As vezes o que queremos e fazemos não é o melhor de Deus para nós e isso pode ser muito doloroso no início, mas aceitar que Deus tem coisas maiores para seus filhos e que isso pode não incluir algo terreno é um grande segredo para que passemos a confiar cada dia mais nele.

Não há segurança alguma no mundo e as suas obras também podem cair a qualquer momento, a nossa única segurança está em Deus e se quisermos nos afastar disso estaremos dispostos a sofrer as mesmas consequências que os ímpios experimentarão aqui na terra. Não é pecado desejar alguma coisa para si, desde que isso seja bom e beneficie outras pessoas também; cumprindo o que lemos até aqui é bem possível que Deus o abençoe e o faça prosperar naquilo que for da vontade dele, porém não devemos esquecer que o mundo ao qual investimos é o mesmo que quer nos engolir vivos por participarmos de tamanha salvação em Cristo Jesus e por isso ainda que o seu sonho esteja dando certo você estará em guerra constante com ele. Não digo isso quanto a ministérios ou casamento, digo para aqueles que desejam ser donos de empresas ou líderes de sucesso e ainda assim participar da salvação que recebemos em Jesus. Aos ministérios dados por Deus, seja ele qual for e ao casamento, sabemos que o mundo irá sempre nos perseguir e na verdade ele já tem declarado abertamente ser um forte inimigo pronto a tentar nos destruir. Para ambos os casos Jesus nos garante que precisamos ter bastante esperança quando ensina:
“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (João 16.33).

E quando orando ao Pai: “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade” (João 17.15-17).

Que nós, cristãos saibamos identificar os nossos próprios desejos, filtrar aquilo que nos leva ao pecado e o que pode fazer com que glorifiquemos a Deus, ter Ele como nossa base principal, nossa rocha segura e se após isso desejarmos alguma coisa, que essa seja a vontade do nosso bom, justo e reto Deus.

Devair S. Eduardo
Versões bíblicas: ACF, NVT, KJF.

Ratings and Recommendations by outbrain