domingo, 31 de julho de 2011

Aprendendo com Jó



Estudando o capítulo um do livro de Jó podemos encontrar três grandes exemplos que aplicados á nossa família fará com que cresçamos juntos e unidos pelo amor em Cristo!

1 - O exemplo paterno
No v. 1 de Jó ele é mostrado como alguém integro, reto e temente a Deus, mais tarde no v. 5 ele aparece santificando seus filhos a Deus e oferecendo holocausto pelo perdão dos pecados de seus filhos, do v. 20-22 ele desaba em adoração ao Senhor mesmo estando pobre e nu, demonstrando total confiança no Senhor e não em tudo que possuía, Jó perdeu, além de todos os seus filhos e funcionários o equivalente a $7.227.200,00 dólares (dados de 2011), e ainda assim não pecou contra o Senhor como descrito no v. 22.
O maior exemplo que Jó nos mostra nesta lição é a devoção ao Senhor colocando-o como parte mais importante da sua vida e da vida de seus filhos, algo que nós temos dificuldade em fazer nos dias atuais. Hoje, a religião é como algo sobrenatural e quase irreal, para Jó sua fé em Deus era mais concreta e real do que as coisas que ele tinha conquistado durante sua vida.


Pergunta - Reunir a família hoje em dia pode parecer uma ideia idiota, porém a união familiar é a maior arma contra os ataques demoníacos dentro de uma família, compartilhar a palavra de Deus é a oportunidade ideal para acertar relacionamentos e renovar o amor dentro da família. Já pensou nisso?

2.1 - A boa convivência entre irmãos
Pelo menos dois aspectos são importantes para que tenhamos uma boa convivência entre família e amigos, uma delas é o perdão, que tem sido o maior desafio para cristãos do mundo inteiro, mas perdão é uma opção para o crente? Sabemos que muitos escolhem não perdoar, mas à luz do evangelho não temos este direito, aprendamos com José do Egito que, traído por todos os seus irmãos soube perdoar e abençoar seus irmãos, assim, temos em mãos a opção de, perdoar e recuperar o nosso próximo ou carregar para sempre o peso de não perdoar. Muitas pessoas passam por dificuldades pelo fato de não saberem perdoar pequenos conflitos, deixando que o sentimento evolua ira e rancor.
Entender as diferenças e o espaço de cada um pode ajudar muito a melhorar o convívio com os membros da família, sabemos que todas as pessoas são diferentes, porém, cometemos o erro de achar que, por ser membro da família as pessoas devem pensar, agir e ter a mesma opinião que nós temos, quando este detalhe é ignorado temos a ambiente ideal para brigas e separações.

2.2 - Boa convivência entre Pais e Filhos
O convívio entre pais e filhos deve, da mesma forma ser exercitado de uma forma justa e equilibrada, sabemos que o mundo quer destruir este convívio, vemos isso diariamente em jornais, programas e novelas, os jovens hoje são motivados a agir por conta própria e os pais são levados a respeitar qualquer decisão que eles tomem, vejam o exemplo de Eli, que tentou ensinar os seus filhos e foi ignorado e por isso o Senhor queria os matar (1Sm 2.22-25).
Da mesma forma os pais devem ouvir seus filhos, com paciência e amor, assim como Maria que guardava no coração quando repreendida por seu próprio "filho" Jesus. (Lc 2.49-52)

Pergunta – Como você tem protegido sua família das constantes ameaças de satanás? Vemos que os jovens respeitam cada vez menos a autoridade dos seus pais, de onde tiramos tantos modelos de influência que contaminam tantas pessoas? Você já parou pra pensar no papel das telenovelas e das músicas no desenvolvimento de uma sociedade tão contrária a palavra de Deus?

3 - O Exercício da Intercessão
Envie muitos convites, chame parentes distantes e os reúna em um pequeno espaço, talvez na casa de um dos membros da família! Finalmente chegamos ao nosso último exemplo deste estudo, não o ultimo do livro de Jó, apenas desta pequena lição.
Vamos falar de Deus dentro da nossa própria casa, com nossos parentes distantes e com os próximos, parece uma coisa impossível à primeira vista, mas era isto que a família de Jó fazia, isto acompanhado de muita alegria, festa e paz entre irmãos!
No v. 4 vemos que Jó, após o termino das festas, chamava seus filhos e os consagrava ao Senhor, tal prática demonstra total interesse espiritual na vida de seus filhos, Jó queria ter certeza de que seus filhos estavam andando nos caminhos do Senhor, isto porque quando não nos preocupamos com a vida espiritual o pecado nos domina a ponto de acabar com a vida espiritual, por isso devemos sim, saber onde estão nossos filhos, com quem eles têm se relacionado, qual o principal assunto no meio deles. Nossa atitude em família excluí qualquer tipo de segredo, precisamos compartilhar e ajudar uns aos outros para que ambos cresçam.

Sempre digo que nós investimos mais tempo naquilo que é mais importante para nós, em que você tem investido seu tempo e atenção? Usando tais princípios em minha família temos provado do amor e da paz que Deus nos dá, vejo que não existe outro lugar para investir mais tempo e atenção que em nossa própria família! Deus te abençoe!

Devair S. Eduardo

Atualizado: 06 de Junho 2017

.

Ratings and Recommendations by outbrain