domingo, 19 de janeiro de 2014

O evangelho em Davi


Quão misterioso e incrível é a revelação do reinado soberano de Jesus contido na palavra de Deus, desde as palavras professadas por Deus a Abraão até aquelas professadas pelos profetas chegando até mesmo à João Batista a qual o próprio nascimento foi profetizado por um anjo quando Zacarias entrava no Santos dos Santos (Lc.1.18-25) e ao encontrar Maria com Isabel, mãe de João confirmou a profecia inspirada pelo Espírito Santo; “Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o bebê [João Batista] agitou-se em seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Em alta voz exclamou: ‘Bendita é você entre as mulheres, e bendito é o filho que você dará à luz!’; Mas porque sou tão agraciada, ao ponto de me visitar a mãe do meu Senhor? Logo que a saudação chegou aos meus ouvidos, o bebê que está em meu ventre agitou-se de alegria.” (Lc. 1.41-44)

Claro que afirmamos que, Isabel não estava em momento algum dizendo que Maria seria mãe de um Deus como ela mesma não disse, quando declarou Maria mãe de seu Senhor Isabel estava dizendo a respeito de Cristo que deveria ser humano, por tanto filho de uma mãe humana, mas não mãe de um Deus, o qual já existia mesmo antes de nascer como menino. Isabel estava ali confirmando, inspirada pelo Espírito Santo que Maria daria a luz a um menino, o Deus encarnado num simples homem e que mudaria todo o curso da história, algo que ele mesmo já conhecia antes da humanidade existir!

A realidade de Jesus como Rei dos Reis é tão antiga quanto suas profecias, talvez até mais antiga que as próprias profecias porque encontramos parte delas expressa em diversos salmos, como o que vamos analisar friamente nesta postagem, um fato é reconhecido aqui: Deus é Deus antes mesmo de existir para a humanidade, não tem inicio e não terá fim porque ele mesmo representa um inicio e um fim, todas as coisas começaram a existir por ele e a partir dele para um dia acabar nele mesmo como ensinado sabiamente por Paulo aos Colossenses quando diz: Ele [Jesus] é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda criação, pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste [Subsiste: exista; existe; existe; existes; viva; vive; vive; vives.] (Col. 1.15-17).

Um comentário recente sobre subsistir foi publicado pela folha de São Paulo: "Eu sou o pão da vida", definiu-se Jesus (João 6,48). Porque o pão representa todos os demais alimentos. E a vida, como fenômeno biológico, subsiste graças à comida e à bebida. São os únicos bens materiais que não podem faltar ao ser humano. Caso contrário, ele morre. “Folha de São Paulo - 28/11/2013”. Mostrando que o próprio Jesus conhecia sua essência e se definia como dito pelos mais antigos profetas.

Jesus é Rei sobre toda a Terra e na realidade sempre o foi será Rei nesta terra até que Ele leve seu povo para viver consigo mesmo entregando os demais ao esquecimento, ao distanciamento eterno de sua majestade e perfeição, fato declarado por Davi no livro de salmos, temos, portanto toda declaração da glória e reinado de Jesus, descrita em seus escritos, tal como as palavras do salmo 110, o qual iremos entender como isso “aconteceria” nas palavras proféticas do rei Davi.

A promessa feita a Jesus (Sl 110.1)

“O Senhor disse ao meu Senhor: “Senta-se a minha direita até que eu faça dos teus inimigos um estrado para os teus pés””.

Davi retrata uma promessa feita entre Deus e Deus, isso mesmo, as palavras usadas para ambos senhores contém o mesmo significado. Segundo a Bíblia de estudos de palavra chave a palavra usada para Senhor é ’ãdhôn (Adonai) ou Soberano, palavra usada para se referir a Deus, ou Yahweh como é mais conhecido, neste sentido lemos que Deus pai se refere ao Deus filho sobre sua futura vitória. A passagem em questão se refere ao momento em que Jesus ressuscita e se assenta à direita de Deus até que Deus revele sua vitória definitiva sobre os seus inimigos, declarando que Ele seria vitorioso!

Declaração próxima foi dita pelo próprio rei Davi quando em seu salmo 2 declarou a vitória de Deus sobre seus inimigos e promete um novo e único Rei, em outras palavras Deus estava de forma profética dizendo que “Do trono nos céus Deus acabaria com seus inimigos e estabeleceria um rei em Sião, seu santo monte.” Fato que ocorre com Jesus o qual foi estabelecido Rei dos Reis. Tal passagem era conhecida na época de Jesus, o qual pregou sobre este assunto como descrito em Marcos 12.35.

Estaria, portanto Davi, afirmando que em algum tipo de reunião ou mesmo revelação Deus havia prometido ao seu Filho Jesus vitória sobre todos os teus inimigos, mas este texto foi usado por muitos para afirmar que Deus estava prometendo tal vitória a Davi, já que antigamente os reis eram escolhidos por Deus e, portanto era comum vê-los sendo conhecidos como filhos de Deus, o que muda todo contexto e indica uma nova direção no pequeno evangelho de Davi é o seu seguimento, porque suas afirmações são inegavelmente próximas àquilo que realmente aconteceu com Jesus!

O Cetro do poder de Deus (Sl. 110.2).

A versão bíblica Judaica completa descreve tal texto com um realismo revelador, diferente da maioria das versões onde não fica explícito o que o autor está dizendo, ela diz o seguinte:
“Adonai enviará teu poderoso cetro desde Tziyon, para que governes sobre os inimigos a teu redor”. (BJC) compare como que diz a versão NVI: “O Senhor estenderá o cetro de teu poder desde Sião, e dominarás sobre os teus inimigos!”.

Em ambas as versões Davi esclarece que não é o seu reinado que foi referido no texto acima e sim um rei que seria enviado como o cetro poderoso de Deus, ou sua manifestação de poder, autoridade. O Deus invisível e inacessível enviaria seu cetro de poder, justiça e autoridade para governar não apenas o povo de Sião e sim os inimigos em sua volta, ou como costumo considerar, todo o mundo! Desde que Jesus ressuscitou todo o poder foi entregue a ele, Jesus governa o mundo, não o diabo como alguns costumam acreditar, isso por que até mesmo o diabo está nas mãos de Deus e se Ele não permitir não pode mover um fio de cabelo nem mesmo de um animal, Jesus reina soberano sobre a terra, sobre os céus e tudo que existe, ele é este cetro de poder e autoridade enviado por Deus como ele mesmo define ao dizer aos apóstolos que “Toda autoridade no céu e na terra foi dada a mim”. (Mt. 28.18)

Mas se Jesus é o Rei soberano, porque o mal continua a existir, provavelmente você se perguntou isso, eu mesmo me perguntei enquanto escrevia este texto e para minha surpresa tive que admitir que o mal existe porque ele simplesmente existe, porque foi dado a ele em toda sua forma a existência o existir, talvez para separar o joio do trigo como ensinado por Jesus, talvez para nos testarmos ou talvez o mal exista simplesmente porque o pecado ainda existe, mas de fato, Deus Reina mesmo o mal existindo e este fato não atrapalha nenhum de seus planos sendo que ele mesmo pode fazer parte dos planos de Deus. Uma coisa é certa, o mal existe para todo o mundo, mas a vitória existe para aqueles que confiam no Senhor, aqueles que não se abalam mesmo sendo grande o sofrimento, mas confiam em Deus a sua vitória.

O mal que hoje conhecemos existirá por um tempo e depois será totalmente extinguido do povo de Deus, é o que declara Isaías usando parte do texto em questão quando diz: “pois uma criança nasceu para nós… o domínio repousará sobre seus ombros… Pai da eternidade, Príncipe da Paz… de modo que estenda o domínio e perpetue a paz.” (Is. 9.5-8)

Como esta paz profetizada depois por Isaías chegaria aos homens na profecia de Davi? Após instruções acerca de um incrível recrutamento voluntário, como o meu e o seu, por exemplo, e uma incrível declaração de que Jesus seria sacerdote para sempre comparado com Melquisedeque o qual existiu antes mesmo de existir sacerdotes no povo de Israel e sem deixar vestígios de seu fim, Melquisedeque na bíblia se refere a um sacerdote que não teve inicio de tempo nem fim.
Vejo Davi como um guerreiro, não um adorador pacato como vemos hoje em dia e sim como um poderoso homem de Deus, que não entrava em batalhas para perder, Davi era sem dúvida um grande guerreiro, por isso sua visão do fim passa por uma batalha onde Deus tem vitória sobre todos os que se opõem a ele, sejam simples humanos ou grandes reis.

O Julgamento das nações (V.5-6)

“Adonai à tua mão direita despedaçará os reis da terra no dia de sua ira. Julgará as nações, enchendo-as com corpos mortos; despedaçará cabeças por todo um extenso território.” (BJC)

Vivemos em um clima de guerra onde o mal sempre investe pesado sobre o bem. Esta é uma forma popular de dizer que Jesus está constantemente em guerra contra aqueles que colaboram para o mal, isso é, satanás e seus anjos e essa guerra um dia chegará ao fim junto com aqueles que o apoiam como descrito no versículo 5. Uma grande batalha define o inicio de uma nova era onde Jesus reinará em paz sobre todos os que o aguardaram por toda vida, esta batalha é travada hoje e constantemente homens e mulheres se ingressam nessa luta seja do lado de Cristo ou do Diabo, é uma realidade impossível de negar e difícil de aceitar para algumas pessoas, mas não se pode impedir que ela aconteça e terminará num enorme julgamento que alcançará toda extensão terrena, todos serão julgados pelo grande cetro de Deus, isso é pela sua infalível justiça e depois disso sim, haverá paz! Tal passagem está curiosamente descrita no livro do Apocalipse se referindo à ultima grande batalha travada entre as forças de satanás e Jesus: “Seus olhos são como chamas de fogo, e em sua cabeça a muitas coroas e um nome que só ele conhece, e ninguém mais. Está vestido com um manto tingido de sangue, e seu nome é Palavra de Deus… de sua boca sai uma espada afiada, com a qual ferirá as nações. “Ele as governará com cetro de ferro.” (Ap. 19.12-15a). E mais a frente: “os demais foram mortos com a espada que saía da boca daquele que está montado no cavalo. E todas as aves se fartavam com a carne deles.”

Uma grande batalha vencida pela palavra de Deus, assim define Davi e João sobre o fim dos tempos. Deus julgará e vencerá, pois isso já foi determinado pela sua palavra a qual não volta atrás! Vista por aqueles que andaram com Jesus e por aqueles que nasceram centenas de anos antes de seu nascimento. Vivemos hoje esta ultima fase dos acontecimentos, descritos por Davi, Isaías e anunciado pelos apóstolos, pelo próprio Jesus, o Messias e pela palavra de Deus como texto, à qual temos acesso direto graças à sua bondade. 
Uma guerra pré-determinada, sabendo Deus que aconteceria e que venceria.

Poderíamos resumir o evangelho de Davi com as seguintes palavras:

Deus reina e sempre reinou sobre a terra, todos os seus inimigos já estão derrotados pelo poder de sua palavra através de seu cetro poderoso chamado Jesus! Aqueles que estão contrários ao grande Rei dos Reis já estão derrotados, junto daquele que domina a mente pecaminosa de seus súditos, este é Satanás que perdeu e será usado como estrado para os pés do vencedor, do Rei dos Reis que julgará todos os vivos e mortos! Jesus venceu!

Quão grande esperança gera isso naqueles que creem e aguardam mesmo com grandes tribulações tais acontecimentos que marcarão o fim de uma era de sofrimento e o inicio de uma era eterna de paz e glória junto de Deus!

Saber que tais fatos não são revelados apenas aos profetas mais jovens e sim a pessoas antigas reforça que cremos em algo físico e real, não numa história, porque vemos, ouvimos e participamos de vários fatos destacados a séculos atrás, nesta posição sabemos que o Rei está perto e que os dias são pequenos para aqueles que ainda se encontram longe do Rei. Que isso nos incentive a continuar firmes no propósito daquele que enche a terra com sua vontade. Amém!

Ratings and Recommendations by outbrain