domingo, 15 de setembro de 2013

Daniel, quem é você?

Se te fizesse a seguinte pergunta: “Você sabe o que você é?” Você saberia me dizer? Teria uma única resposta para a pergunta ou ficaria horas anotando afirmações que poderia variar entre uma resposta e outra? Afinal, você sabe exatamente o que você é? O que você representa? Quais são seus valores reais nesta vida? Você é leal a você mesmo? Poderia ficar assim durante horas para fazer que você chegasse à resposta certa e após isso seria simples lhe perguntar: “Por quê?”.

De sua própria mesa, o rei designou-lhes uma porção diária de comida e de vinho. Eles receberiam um treinamento durante três anos e depois disso passariam a servir o rei... Daniel, contudo, decidiu não se tornar impuro com a comida e com o vinho do rei, e pediu ao chefe dos oficiais permissão para se abster deles.” (Dn 1.5, 8)
Morar na Babilônia pode parecer ruim para os cristãos hoje, mas não para aqueles que perderam sua cidade no tempo de Daniel, após a destruição provocada pelo rei Nabucodonosor, não parecia muito ruim para muitos que foram levados como escravo. Os reis que perdiam batalhas eram forçados a viverem para sempre como servos do rei vencedor e salda-lo em todas as refeições como rei, isto era um insulto para o rei e a corte, mas para todos os que foram levados não. Babilônia era o centro do mundo antigo e suas influencias alcançam até mesmo você sentado em sua poltrona lendo este texto, mas de fato, era um lugar sujo, de muita idolatria o que provavelmente causou o fim deste reinado também. Apesar de tudo isso o povo daquele lugar era muito avançado, tanto em tecnologia como em sabedoria, mesmo que muita coisa de lá não sirva para nada para um cristão, como foi no caso de Daniel.

Diferente de Daniel existem documentos relatando que muitos judeus que foram para Babilônia, não voltaram por estarem presos e sim porque não quiseram, isto mesmo, não voltaram porque já estavam lá a tanto tempo que não queriam mais sua casa antiga, este é um fato polêmico que não pretendo tratar aqui mais do que o necessário.
No lugar de Daniel, o que você faria? Aliás, o que você tem feito? O que temos feito após sermos inseridos numa sociedade parecida com a Babilônia? Reagimos com nosso caráter cristão ou nos disfarçamos para não sermos incomodados? Ao negar o que era oferecido a Daniel, estava abrindo mão da comida de um rei. Daquilo que serviam o próprio rei que era tratado como um deus! Daniel manteve-se firme porque sabia quem ele era e o que representava naquele local e de fato Deus estava vendo o que ele estava talvez inconscientemente fazendo.

Se formos aquilo que falamos, verdadeiramente seremos o que falamos! O problema não é ser, o mal está em parecer algo que na verdade não somos. O péssimo exemplo deixado por muitos cristãos vem desta questão, estão dentro da igreja, mas não são o que professam ser, não externam o que acreditam ser no intimo de sua mente, e isto é um problema enorme para aqueles que são. Isto porque a sociedade julga as pessoas pelo seu mau comportamento e não pelo seu exemplo, assim a igreja é muitas vezes condenada por seus próprios membros, que fazem aquilo que condenam. Volto a perguntar, você sabe o que é? Você tem sido aquilo que você acredita ser? Por quê?
 
Ter uma posição clara é como uma faixa separadora, ela mostra para o outro aquilo que Deus já havia visto antes, isto porque aquele que acha ser algo que não é engana-se apenas a si próprio e atraí a sua condenação. Jesus foi claro quando diz:

Quem não está a meu favor, está contra mim, e quem não ajunta comigo, dispersa.” (Mt. 12.30)
Jesus foi conciso ao afirmar que aqueles que não estão para o seu favor estão contra ele, sem deixar incerteza ou sombra de dúvida Deus conhece os seus e temo que muitos destes não saibam isto. Precisamos estar atentos como Daniel, que não deixou que as motivações externas influenciassem naquilo que ele declarava ser e que de fato era. Precisamos de cristãos autênticos que lutarão contra um mundo de injustiça a favor dos outros e não de si mesmo! Afinal, esta é a vontade de Deus, que amemos uns aos outros, que façamos o bem aos outros, que vivamos como luz em trevas. Pessoas que ajuntam para o seu Reino porque são usadas pelo Espírito Santo a favor de Cristo, que sabem o que representa para um mundo perdido, sendo sal e luz, sendo água para um mundo aflito. Levando Jesus aqueles que precisam para que juntos possamos ajuntar para Cristo. Para que isso aconteça é preciso que façamos o máximo para ser 100% daquilo que Jesus foi, mostrar ao mundo aquilo que somos a fim de que ele conheça aquele que nos tirou da morte para a vida. O que você faz mostra para todo mundo o que você é, mais do que suas palavras, suas ações mostram tudo o que você tem escondido. Pare hoje e reflita sobre o que você têm sido, quais valores o tem guiado e para onde o tem levado, se fizer isto de coração tenho certeza de que muitas coisas vão mudar, como aconteceu com Daniel ou talvez como aconteceu com Jesus, mas o importante é que fomos autênticos naquilo que professamos.

Espero ter ajudado você a entender um pouco de quem realmente é! Deus já o conhece e sabe de suas limitações e suas decisões e realmente se importa com você, mas ele o quer 100% para ele, não apenas um pouco, não apenas durante o culto de domingo, Deus quer você para sempre! Firme e corajoso a ponto de contrariar aquilo que poderia lhe trazer algo bom ou aparentemente bom, sabemos que bom mesmo é estar com Deus e lhe servir, tudo nesta vida passa!
Decida hoje mesmo aquilo que Deus já viu em você…
Devair da Silva Eduardo

Ratings and Recommendations by outbrain