segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Céu ou Terra?



Nós vivemos em um mundo urgente, necessário e completamente material! Aonde aquilo que define nossa felicidade inclui em sua grande parte coisas materiais e temporárias, eis o motivo de nunca chegarmos lá. Mas existe um problema nisso tudo quando aplicamos esses conceitos na religião cristã, e eles estão bastante aplicados no cristianismo moderno e principalmente quando o objetivo é conquistar pessoas, tocá-las emocionalmente às vezes com segundas ou terceiras intensões. Afinal, por que existe um cristianismo tão terreno e material como o nosso? Qual o objetivo e as diferenças entre o ensino de Jesus da bíblia e ensino de grande parte das igrejas?

Talvez você não saiba nem mesmo o que é evangelho. Até porque é bem possível que nem sequer chegou a ler sobre ele na… bíblia. Mas vamos pensar um pouco sobre como é o evangelho e o povo que viveu isso de forma mais original e compará-lo ao modelo de evangelho vigente no século XXI.


O Rei do Evangelho


Apesar de vermos traços do evangelho em toda a Bíblia, podemos dizer com segurança que Jesus é o Rei do evangelho, isso é importante porque precisamos definir quem o criou e a quem ele pertence para só assim chegarmos a alguma conclusão sobre o que Ele quis dizer ou ensinar com este suposto evangelho…

Não há duvidas de que Jesus é o autor do evangelho e em Marcos nós vemos duas provas básicas sobre isso quando ele anuncia:

1 – Princípio do evangelho de Jesus Cristo, filho de Deus... 14 – Depois que João foi preso, veio Jesus para a Galileia, pregando o evangelho do Reino de Deus; 15 - e dizendo: O tempo está cumprido, e o Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no evangelho” (Marcos 1. 1,14,15)

Não há dúvidas de que o dono do evangelho é Jesus. Ele mesmo iniciou seu ministério pregando este evangelho que visava antes de tudo o convite ao Reino seguido do arrependimento necessário para fazer parte do mesmo. E se esse é o motivo do evangelho (nos levar ao Reino de Deus). Como chegamos a ponto de transformar essa mensagem numa motivação de conquistas materiais ou pela busca incessante da felicidade terrena? Sendo que, nem mesmo o dono do evangelho ensinou estas coisas?! E se esse evangelho fosse significado de felicidade material e física não teria o próprio Jesus vivido uma vida de riquezas? Ou de alegrias? Textos como os abaixo me deixa pensando em como essa mensagem foi transformada e modificada para o que temos hoje:

Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Regozijai-vos e alegrai-vos, porque grande é a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram as profetas que viveram antes de vós” (Mt 5.11-12)

E, se a tua mão direita te faz pecar, corta-a e atira-a para longe de ti. É melhor perder um dos teus membros do que ter todo o ter corpo lançado no inferno” (Mt. 5.30)

O pão nosso de cada dia nos dá hoje” (Mt. 6.11)

Buscai, pois, em primeiro lugar o seu Reino e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas” (Mt. 6.33)

E, indo, pregai, dizendo: O Reino dos céus está próximo. Curai os enfermos, purificai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios. De graça recebestes; de graça dai” (Mt. 10.7-8)

Não penseis que vim trazer paz à Terra. Não vim trazer paz, mas espada. Pois eu vim trazer divisão entre o  homem e o seu pai, entre a filha e sua mãe, entre a nora e sua sogra. Os inimigos do homem serão os seus próprios familiares. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz e não me segue não é digno de mim. Quem achar a sua vida a perderá, e quem perder a sua vida por minha causa a achará” (Mt. 10.34-39)

Não há profeta sem honra a não ser na sua terra e na sua casa.” (Mt. 13.57b)

Jesus chamou os discípulos e lhes disse: Tenho compaixão da multidão; já está comigo há três dias e não tem o que comer. Não quero mandá-la embora com fome, para que não desfaleça no caminho.” (Mt 15.32)

Enfim, o evangelho de Jesus é uma mensagem que não foca na felicidade terrena, não é esse o seu objetivo. Para isso o homem deve trabalhar e ser abençoado a partir deste princípio. O evangelho é uma urgência! Arrependam para entrarem no Reno dos Céus! O foco naturalmente é o céu e não as “coisas” desta terra, Jesus nunca focou em projetos humanos ou coisas do tipo, ele esteve sempre pregando e falando das coisas de Deus.

Isso não significa que Jesus pregava uma religião de miséria. Ele ensinou que o nosso foco estaria no céu e na justiça de Deus. Havia pessoas ricas que se converteram após a ressurreição de Jesus e havia também antes de isso acontecer. O fato é que Jesus as chamava para uma vida focada em Deus e não nas vantagens da Terra. E o mais interessante é que muitas destas pessoas ricas repartiram os seus bens para que outras pessoas também tivessem acesso a alguma riqueza ou a certas facilidades que não necessariamente os tornaram ricos. Agora, comparar isso com o que temos hoje é ficar assustado.

Isso porque o que vemos hoje é uma busca incessante pela felicidade através de coisas, ao contrário do que Jesus buscava. Ele não se apoiava em seus bens, e diferente do que as pessoas pensam e vêem ele não deixou nenhum dos seus seguidores ricos. Tais seguidores foram fiéis ao estilo de Jesus e terminaram suas vidas da mesma forma, sendo perseguidos por pregar o evangelho do Reino dos Céus, como aconteceria hoje se esse mesmo evangelho estivesse sendo pregado. E ai da igreja que pregar o evangelho como Jesus ensinou e viveu. Ela certamente não seria vista com bons olhos para a sociedade (assim como Jesus não foi), ela não teria alvos financeiros para si mesmo e sim para outras pessoas. Um detalhe muito importante da vida de Jesus, como você já viu em um dos versículos acima é que a entrega do homem acontece em duas vertentes diferente. 

Primeiro o homem se entrega ao Deus que o chamou. Isso faz com que ele esteja aos seus pés e pense em Deus acima de todas as coisas. A segunda entrega, também muito importante, é a parte em que eu me entrego ao meu próximo, ou seja, não há sequer espaço para o “eu”. Eu estou aqui para me entregar a Deus e ao meu próximo para que com essa entrega o meu próximo veja Deus em mim e veja Deus nas minhas ações.

Dessa maneira e da forma como Jesus fez o evangelho está sempre em crescimento, sempre expandindo seus horizontes e consequentemente alcançando pessoas para o arrependimento e a preparação para este Reino dos Céus, e não para o reino da terra.

Sobre o fato de que todo cristão sofra mais do que o não crente é bem óbvio que por estar contra um sistema que busque a satisfação humana e pecaminosa ele sofra muito mais tentações e pressões de satanás do que as outras pessoas que simplesmente concordam com este sistema mundo/satânico. O que Deus muitas vezes permite que aconteça por diversos motivos, seja para nos preparar, ou mostrar aos outros que você ou eu somos fiéis e por isso herdamos o Reino dEle mesmo. Como consequência de uma vida assim é ver que outras pessoas podem ser influenciadas positivamente e sendo tocadas pelo Espírito Santo para a mesma realidade da salvação e rejeitando a realidade do pecado que como explicado por Paulo leva à morte.

Ainda sobre as conquistas e vitórias de pessoas que não levam em consideração a Deus, sabemos bem que trinta, quarenta ou noventa anos é muito pouco perto de uma eternidade longe de Deus e de uma vida realmente feliz, os quais jamais estarão presentes no inferno. Portanto, passar pelas provações, ter uma vida de dores de cabeça e problemas na Terra e herdar o Reino de Deus vale muito mais do que viver como um rei na Terra e morrendo ir direto ao inferno. Não que isso aconteça com todos os ricos. Existem ricos que beneficiam muito mais outras pessoas do que a si mesmos e são sempre mantidos pelo próprio Deus para que continuem esta obra. Pessoas que com sua riqueza expandem o Reino ao invés de se fechar em seus cofres, consegue perceber essa diferença?

Se por um lado vemos hoje atuando uma mensagem de paz no mundo, de bênçãos materiais e felicidades instantâneas. De formas para se alcançar o sucesso e viver felizes e até mesmo de alcançar aquela cura que a gente tanto quer ou acha que quer, por outro lado nós vemos um Deus gritando para todos os lados “O tempo está cumprido, e o Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no evangelho”.

Se de um lado vemos pessoas doentes por não poder conquistar um carro, uma casa ou algo que traz extremo conforto para os poucos dias aqui na terra, do outro nós vemos um Jesus pregando uma mensagem divina que se concluí da seguinte maneira: “E quem não toma a sua cruz e não me segue não é digno de mim. Quem achar a sua vida a perderá, e quem perder a sua vida por minha causa a achará.

O que dizer? Ele quer que você seja pobre e miserável? Essa reposta depende muito do que você pensa ser riqueza.

Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração” (Mt. 6.21)
Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; levando sempre por toda a parte o morrer do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também em nossos corpos; e assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte, para que a vida de Jesus se manifeste também em nosso corpo mortal. De maneira que em nós opera a morte, mas em vós, a vida.” (2 Co. 4.12)


Pois a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação. Portanto, nós não fixamos o olhar nas coisas que se veem, mas nas coisas que não se veem. Pois as que se veem são temporárias, e as que não se veem são eternas.” (2 Co. 4.17-18)


"corrigido 05/04/2017 - informação interna"

Ratings and Recommendations by outbrain